domingo, 29 de agosto de 2010

Ode à minha saudade


Quando desperto,
A madrugada me traz desejos, que tento esconder.
Sob as vestes da minha alma.
Chamo, então, a calma,
Que vaga por entre meu quarto,
E abraço todos os meus sonhos
Ate mesmo os da infância, esquecidos,
E tento resistir, forte,
A ancia que me invade.
E abro a porta...
E ai, então, que as tuas caricias,
Longe vem com o vento...
Com teus afagos, teu perfume.
Sinto tanta saudade...
Por que estás sempre aqui, e tão longe
Quando mais necessito de ti?
Por que não vens com vento, na velocidade da minha lembrança?
Mais uma vez a noite paira sobre a minha vida
E com ela as lembranças dos nossos momentos que me invadem
Pouco a pouco
Por favor, noite,
Por favor, vento,
Leva para ela a minha lembrança, o meu amor, a minha dor...
Diga-lhe quanta saudade eu sinto...
Fale das lagrimas borrando os sorrisos das nossas doces lembranças
Diga-lhe que já se fez noite mais eu ainda a espero
Para quando o sol nascer
Ela esteja junto de mim.


(Trilha sonora do dia: Tiro ao Alvaro - Adoniram Barbosa)

sábado, 28 de agosto de 2010

"Nosso caso imoral"


Hoje eu queria dizer que estou apenas com saudade, mas só saudade, não causa todo esse vazio gigantesco que cresce cada vez mais em mim. Por muitas vezes eu gritei, chorei e sofri calado, por medo de admitir que realmente eu sinta algo especial por uma pessoa que eu sabia que não merecia minha atenção e meu carinho, mas assim mesmo deixei-me apaixonar loucamente e sofri muito mais do que todos os outros desamores que tive.
Hoje por ironia do destino, o jogo virou e não sou eu quem corre atrás do prejuízo. Creio eu que teus abraços e afagos foram sufocados pelo tempo, e tudo que exista em mim se tornou no Maximo uma amizade meio estranha fixadas em feridas não cicatrizadas. Odeio admitir, mas sinto-me dentro de uma obra literária (Mascaras – Pierrot,Colombina e Arlequim) cujo eu (o Pierrot) finalmente consigo ver quem realmente é Colombina, e não me deixo abalar com os doces versos de amor sussurrados em meu ouvido.
Por mais que isso soe contraditório, eu me odeio muito por isso, mas admito que eu ainda te amo. Eu não escolhi ah quem amar, e como diz o ditado “Só gostamos de quem não presta!”, você me fez crescer em todos os sentidos, me tornei uma pessoa melhor vivenciando os seus erros, e às vezes “Faço questão de não lembrar das tuas palavras para não me machucar”¹.
Quem seria essa garota? Bom, eu não posso citar nomes, pois seria antiético da minha parte! Mas sei lá, entrego nas mãos de Deus, pois ele sabe o que é melhor pra esse simples filho dele!

(Citação ¹ : Esquecer – Elektra)
(Trilha sonora deste post: Não deixe o sistema nervoso - Matheus Torreão, Amor Marginal - John Donovan)

sábado, 21 de agosto de 2010

A busca de um verdadeiro amor



  Sabe quando nos perguntamos se realmente existe um par para nós?
E por mais que busquemos pacientemente sem nos precipitar, sempre acaba de uma maneira trágica?
Essa péssima experiência é vivida por milhares de pessoas no mundo todo, a tal: "Busca do amor verdadeiro", que é praticamente uma corrida sem fim na geração em que vivemos, (pois todos que nos cercam ou não querem nada sério ou já estão mais do que “amarrados” - com aquela pulga atrás da orelha com o seu par, pois é raro um caso de fidelidade nos dias de hoje).
É chato viver sem ter alguém ao lado pra dar “carinhos e beijinhos sem ter fim”¹, a vida se torna cinza e amarga, não há prazer sem amor, um está interligado ao outro! Basta ligar a televisão, ou ler um bom romance, lá está o amor e o prazer juntos, colorindo a vida das pessoas (pelo menos de algumas). Os poetas durante séculos nos ajudaram a encontrar um amor com seus romances ricamente literários, mas hoje o amor está morno e os ensinamentos foram trocados por twitters, os relacionamentos foram trocados por traições sem fim! O que aconteceu com a magia do amor? Pouca gente crê que ele ainda exista, as perfeições do amor viraram rotina e comodismo sufocando o prazer de amar com desconfianças e ciumeiras!
Depois de Ler Toda essa Ode desesperada ao amor verdadeiro, você deve estar se perguntando por que Eu não dei conselhos de como encontrar um Amor de novelas, e eu vos falo o real motivo: “vamos viver intensamente, amar loucamente, deixar a magia do amor preencher o vazio de sua alma, sofra, quando tiver que sofre,sorria quando tiver que sorrir, e ame. Ame muito! Nem que seja um passarinho que corta o céu em sua frente, um gato que “ronrona” em sua perna, um livro de um autor perfeito,sei lá, simplesmente ame e deixem ser amados reciprocamente!
Não existe uma formula escrita pra ama, basta você querer e não esperar que vai cair do céu como um milagre!
(Citação 1 – Chega de saudade – Tom Jobim)
(Agradecimentos : Renata, Morango Kisser e Stany, muito obrigado por ajudarem na pesquisa de campo para esse post.