terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O desenrolar de um amor




Às vezes paro e olho pra trás pra refletir sobre o que o tempo modificou em relação ao que eu achava o que era o amor. E sabe, continuo achando a mesma coisa. Pois não é fácil amar, muito menos se declarar pra quem amamos, e muito mais difícil ainda, é o passar dos dias na convivência de um amor... Mas isso eu vou descrevendo no decorrer desse pensamento.

Antes de gostar de alguém, tudo parece tão normal, tão banal, tão sem sal. Ai do nada, por uma simples brincadeira, um olhar, ou afago inocente, tudo muda. E aquele mundo monótono se faz estranho e complicado de se entender como uma chuva em um outono no Brasil ou até mesmo como um dia nublado em pleno verão.

O primeiro passo é sempre o mais constrangedor, pois parece um plano mirabolante de desenho animado. Mas ai você vai descobrindo coisas em comum e aquele universo paralelo já nem parece tão distante assim, e mesmo assim as coisas brotam como as ondas no mar.. Uma atrás da outra, em uma sequência sem fim.

Logo, se descobre o que o outro gosta em um “estudo” detalhado e minucioso e aquele plano mirabolante, começa a ser posto em pratica. E pra conquistar quem se ama, vale tudo. Alguns que entregam flores e chocolates, outros que fazem declarações em um trio elétrico na faculdade, e tem uns mais loucos que correm pelados em plena Avenida Paulista com uma cartolina cheia de “Eu te amo Fernanda” pra tentar aparecer no jornal em rede nacional (Nunca vou esquecer essa cena Marcos).

Mas o que realmente te diferenciará, são as coisas mais simples e arcaicas. Como por exemplo: Ser um verdadeiro companheiro e estar sempre ao lado, falar ao telefone quase que direto, ou até mesmo fazer uma musica. E se nada disso colar, Sai correndo na avenida paulista!!! O mico vai ser grande, mas ela vai gostar! (kkkkkkkkkk)

Acho que me senti um adolescente ao pensar nisso tudo e ao fazer boa parte dessas coisas acima, mas realmente, o que vale, é ser sincero e respeitar a pessoa qual você ama. Seja ela quem for. Independente de cor, religião, classe social ou sexo. Amar é amar e nossa felicidade está interligada diretamente a isso.




4 comentários:

  1. ASSIM EU CHOOOORO *-*

    ResponderExcluir
  2. ...é meu irmão, é de chorar mesmo qd vc não aprende a valorizar as coisas e se troca por qualquer tostão e/ou real. O que importa é a essência das coisas, o amor implícito no ser é quem diz o que vc é, ou não é, ou o que poderá ser. Aprender a ler as entrelinhas, a ver olho-no-olho, perceber onde mora a verdade e se não tem uma mentira disfarçada. Verificar a dissimulação, atentar para a verdade, e crer, crer piamente, que as pessoas ainda são capazes de amar, principalmente os homens. Tem um bocado deles procurando a metade da laranja, ainda que não há (como disse Lílian Cabral no Divã) alguém com cara de laranja - tem uns com cara de "tacho", de "pau ôco", de "banana", "lisa" "limpa". Mas há os que amam, respeitam e querem ser respeitado. Olha em volta e procure quem lhe complete, que compartilhe, quem some e multiplique ao mesmo tempo. Deixe de modismo de ficar e não tenha medo de ser FELIZ. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi Gautama, Vim aqui lhe convidar para participar do SORTEIO de 1 ano do Birula Artes, quem sabe vc ganha de dá de presente para sua mamãe mesmo depois dos dias das mães?. bjos.

    ResponderExcluir